NOTÍCIAS


Iluminação: A alma do negócio

A iluminação é um dos principais fatores de sucesso de um ambiente comercial. Por isso vem assumindo papel estratégico na concepção de projetos de interiores, tanto para destacar produtos, quanto para reforçar a identidade das marcas.

Um projeto de iluminação bem-concebido e de acordo com a arquitetura existente tem o poder de chamar a atenção das pessoas, tornar um ambiente mais aconchegante e ressaltar aspectos desejáveis em um espaço. Não é sem razão que tem sido dada cada vez mais importância à manipulação da luz em interiores comerciais. Aproveitada para evidenciar pontos de interesse e valorizar os produtos expostos, a luminotécnica se transformou em uma importante ferramenta de vendas. Os lojistas que já se deram conta disso têm obtido bons resultados, tanto os instalados em shoppings, quanto os alocados nas ruas. Para atender às múltiplas necessidades dos espaços comerciais em fachadas, vitrines e áreas de atendimento, o projeto de iluminação vem se tornando cada vez mais complexo, compatibilizando técnicas e equipamentos diversos. Cada tipo de loja requer uma abordagem que considere o perfil do público-alvo e características dos produtos comercializados. Um local dedicado à venda de tecidos, por exemplo, precisa de uma iluminação que valorize cores e texturas. Um ponto de venda de tintas requer lâmpadas eficientes e com excelente reprodução de cor. Já em uma joalheria, espera-se uma luz mais sofisticada que focalize o brilho das peças. 

Seja qual for a tipologia da loja e o perfil do consumidor, o projeto de iluminação deve ser capaz de convidar o público a entrar e a conhecer as mercadorias. "Atrair a atenção é proporcionar ao cliente uma resposta visual imediata para que a loja se destaque das demais, seja pela fachada, nome, marca ou vitrine", explica a arquiteta e lighting designer Neide Senzi. Por isso, a arquiteta recomenda que a luz nesses pontos seja dramática e de grande apelo cênico. "Nessas situações, o uso de cores e luzes com movimento têm sido a grande tendência mundial", destaca.

Nos ambientes internos, funcionalidade e harmonia visual são fundamentais. Entre os recursos de iluminação que podem ser explorados, o lighting designer Rafael Leão destaca o brilho, que influencia diretamente na composição hierárquica dos elementos, tanto aqueles em destaque (produtos à venda) quanto os arquitetônicos (formas, planos, volumes etc.). Um dos desafios da iluminação comercial é a conciliação dos aspectos funcionais e cenográficos em um único projeto. As propostas não podem prescindir de flexibilidade, já que as estratégias e tendências mercadológicas mudam constantemente e a iluminação pode ter que se adequar a isso.

A disseminação de tecnologias como os LEDs e o aprimoramento de luminárias especiais, de reatores eletrônicos e dos softwares de automação, têm ajudado os projetistas a obter resultados mais dinâmicos e coloridos, sem comprometer o controle do consumo de energia e os custos de manutenção. Os LEDs, em especial, têm tido aplicação recorrente em ambientes comerciais por estarem se tornando mais acessíveis. 

Fonte: http://au.pini.com.br/